Blog do Domingos Sávio Baião

07/05/2009

Agora o endereço do Blog do Baião é: www.otempo.com.br/blogs

 


Escrito por Domingos Sávio Baião às 01h59
[] [envie esta mensagem] []


23/04/2009

Mensagem de agradecimento à Rádio Itatiaia

A Rádio Itatiaia faz parte da minha história de vida, é parte da minha formação. Afinal, foram quase 13 anos em que estive prestando a minha colaboração com a equipe de esportes, fazendo as análises dos números, dos regulamentos, as projeções. Tudo foi feito para que o ouvinte da Itatiaia, sem dúvida o maior patrimônio da emissora, tivesse, além do noticiário do seu clube, informações complementares, os números, pois são eles, que de fato, levam às grandes conquistas. Para que uma equipe seja CAMPEÃ, não basta ser a melhor da competição no campo de jogo, é preciso somar mais pontos, pois os números contam a verdadeira história do futebol.

A minha história na Itatiaia começou em 1996 quando fui convidado pelo Emanuel Carneiro para ingressar na equipe de esportes, depois dele tomar conhecimento de alguns estudos que enviei à emissora, como ouvinte. Esses estudos foram utilizados nas programações esportivas da época pelo saudoso Oswaldo Faria e pelo Milton Naves, o âncora do Rádio Esportes, um dos mais competentes profissionais do Rádio Mineiro.

O Emanuel, sempre ligado no que pode fazer diferença na comunicação, vendo os trabalhos apresentados, me convidou para comentar números do Campeonato Brasileiro, daquele ano, na Grande Resenha Esportiva, programa da Itatiaia que encerra a Jornada Esportiva dos domingos. Aceitei o desafio e a partir daí fui conquistando o meu espaço e acima de tudo, fui conquistando o respeito e a confiança do desportista em geral e em especial, do torcedor. De uma simples experiência, já se passaram 13 anos.

Na dança dos números, como tantas vezes falei na Itatiaia, o que vale é o momento. Quando começa um campeonato, especialmente o Brasileiro, torcedor de time grande sonha com o título. Depois, se a coisa não anda bem, vale uma vaga na Libertadores, na Sul-americana. Como último objetivo, serve até sair do rebaixamento. Se ainda não for possível, e o time cair, os torcedores vão junto e os números também. Sendo time grande e corrigindo as falhas, volta no ano seguinte, empurrado pela torcida. Foi assim com o Palmeiras, com o Botafogo, com o Atlético, com o Corinthians. Vivi todas essas e muitas outras emoções, com o mesmo entusiasmo, torcendo cada vez mais pelos números e deixando a emoção, no campo de jogo, para os torcedores.

Em 2003, no primeiro Campeonato Brasileiro de pontos corridos, muita gente pensava que não tinha mais conta para fazer. Montei o meu material de estudo, fiz as contas, defini o número com o qual iria trabalhar para o título e o levei a conhecimento público, antes do início da competição. Disse, na oportunidade, que somente uma equipe chegaria a 93 pontos ganhos ou mais. No dia em que o Cruzeiro venceu o Paysandu chegou aos 94 pontos e se o Santos vencesse todos os demais adversários, chegaria a 92 pontos. Também divulguei as projeções para a Libertadores e para o rebaixamento. Os números contaram de novo a história e eu venci mais um desafio.

No ano passado, os números estiveram a serviço do América na série C. Na reta final, penúltima rodada, estava praricamente certa a queda do América para a série D. Nos números a queda não estava confirmada. Levantei a questão pelos canais da Itatiaia, mostrei as possbilidades e a situação foi revertida na rodada final. O América disputa este ano a série C, direito conquistado no campo de jogo, com a contribuição dos números.

Este ano foi a vez da Mineiro. Última rodada, sete equipes já classificadas para a próxima fase: Atlético, Cruzeiro, Ituiutaba, Democrata, Rio Branco, Uberaba e América. Tupi e Uberlândia lutavam pela última vaga. Na abertura da jornada da última rodada, com base nos números, refletindo as campanhas das equipes, dentro e fora de casa, quando fui chamado pelo Alberto Rodrigues para o meu destaque inicial, registrei os quatro confrontos mais prováveis. Deu tudo certo ao final da rodada. Mais uma vez eu vibrei com os números.

O tempo passa e a gente vai criando novos objetivos na vida, novos desafios aparecem, mudanças muitas vezes são necessárias. Desta forma e por esses motivos, eu acabo de me desligar da Itatiaia, não sei por quanto tempo. Em maio, vou assumir novos desafios, estarei prestando a minha colaboração em outros canais de comunicação, com o mesmo entusiasmo, com a mesma alegria, com a mesma vontade de acertar, sem nunca esquecer da importância da Rádio Itatiaia em minha história de vida.

A Itatiaia influenciou também na vida de minha família. A Paula Carina, minha filha mais velha, que sempre esteve comigo na produção de material, durante todo tempo que trabalhei na Itatiaia, inclusive, durante um bom período, nas repartições da emissora, pegou gosto pela comunicação, fez Jornalismo na Newton Paiva e está no mercado de trabalho. Como a Juventude de hoje não pode parar de estudar, a Paula está se especializando em Moda na Estácio de Sá, onde também estuda Jornalismo a filha mais nova, Rafaela Cristina (formatura prevista para o fim do ano), que tem como plano de vida formar em Jornalismo depois cursar Letras e se preparar na seqüência para ser Professora Universitária. No trabalho de conclusão do curso de Jornalismo na Estácio, o assunto será futebol. A Rafa entende e muito do esporte mais popular do mundo, o futebol.

Com o coração feliz, certo de ter cumprido da melhor forma que tive condições a minha missão na Itatiaia, deixo aqui, nesta mensagem aberta e pública, o meu agradecimento a todos que formam a Rede Itatiaia de Rádio, desde o Emanuel, o Cláudio, até o mais simples dos funcionários. Simples, porém de uma grande importância. Na engrenagem eletrônica, cada um faz a sua parte e é peça indispensável para que o som chegue, com qualidade, ao ouvinte.

Saiba Emanuel, quando um empresário da comunicação abre uma porta para um comunicador, como você fez comigo e com tantos outros profissionais espalhados por este Brasil, a porta é aberta para muito além do horizonte, é aberta para o mundo, sem que nunca mais venha a ser fechada. É só aproveitar, foi o que procurei fazer o tempo todo.


Escrito por Domingos Sávio Baião às 13h02
[] [envie esta mensagem] []


01/03/2009

História de Vida

As marcas do tempo

 

Como sempre gosto de afirmar, nasci em Padre Fialho (Garimpo) - Matipó (MG), há quase 52 anos, mais precisamente em 29 de agosto de 1957. É mais de meio século de história, idas e vindas, enfrentando novos desafios, escrevendo no presente a história que vai passando e ganhando novos capítulos e abrindo espaços pela frente para outros, onde sempre me deparo com as encruzilhadas, com várias opções para seguir em frente, muita vezes, tendo que escolher um único caminho, que nem sempre é em linha reta, que nem sempre é a continuação do caminho que estou pisando.

 

Em 1968, com 10 anos de idade, meus pais mudaram para Oratórios, à época município de Ponte Nova, hoje cidade emancipada. Por lá morei 3 anos depois mudamos para Ponte Nova, onde morei no centro, depois uma parte muito importante da vida no bairro da Raza e por fim no Bairro Triângulo Novo. Em 1976, com 18 anos, resolvi enfrentar o primeiro desafio sem a escora do saudoso pai Antônio Baião e da saudosa mãe e eterna mestra Delizete Brandão Baião, vim para Belo Horizonte onde morei por 3 anos, trabalhando e estudando. No final de 1978 voltei para Ponte Nova, para a casa dos meus pais, e passei a buscar opções de trabalho. Ingressei na Rádio Sociedade de Ponte Nova, como repórter esportivo e fui contratado pela Editora Folha de Viçosa, detentora à época do principal jornal impresso da região, onde além de atender aos assinantes no escritório da empresa em Ponte Nova, eu era responsável pela produção da página esportiva do jornal, contando com apoio e revisão do meu amigo Guega, o Jornalista Francisco Eustáquio Salgado, que há muito tempo reside e trabalha em Belo Horizonte.

 

Em 1982, um ano decisivo em minha caminhada, fui contratado pelo BEMGE, onde fiz e continuo a fazer carreira bancária, estando Gerente de uma das maiores instituições financeiras do mundo, o Itaú Unibanco. Também em 1982 me casei com a Margarida, onde formamos uma família com a chegada da 1ª, da 2ª e da 3ª filhas.

 

Com o investimento na carreira bancária, tive que me ausentar por algum tempo do rádio, pois trabalhei ainda no BEMGE nas cidades de São José do Goiabal e Manhuaçu. Em 1989, depois de participar de um curso de Administração Bancária, patrocinado pelo Bemge, com 1.800 horas aulas, fui convidado para trabalhar na área de Poder Público do Banco em Belo Horizonte, onde estou até hoje, agora no Itaú, graças ao processo de privatização do Banco do Estado de Minas Gerais.

 

Antes disto, mais precisamente em 1996, como sou formado em Matemática e gosto da comunicação, com vários cursos no segmento, uma porta foi aberta pelo Emanuel Carneiro na Rádio Itatiaia, e como, atividade de lazer, passei a comentar números no futebol aos finais de semana. Fui conquistando o meu espaço, ganhando a confiança do amante do futebol e o que, para mim, continua sendo uma atividade de lazer, passou a ser para muitos ouvintes da Itatiaia sinais de onde o time do coração de cada um pode chegar.

 

A minha caminhada na Itatiaia não é diferente das mais diversas caminhadas enfrentadas por qualquer ser humano. Há encontros e desencontros, rumos a serem seguidos e rumos que precisam de correção, tudo para que o meu lazer de comentar futebol seja sempre e antes de tudo um GRANDE PRAZER, uma GRANDE SATISFAÇÃO. A vida é assim.

 

O Itatiaia me propiciou a abertura de novos caminhos, me tornei conhecido por mais diversos profissionais da mídia esportiva mineira e agradeço o respeito e a confiança que sinto ter por parte da  esmagadora maioria deles, profissionais da comunicação esportiva e especialmente do ouvinte Itatiaia, que é a luz no horizonte que ilumina o meu desejo de fazer cada vez mais bem feito o meu trabalho, curtir o meu lazer.

 

Encruzilhadas aparecem todos os dias, novos caminhos pela frente que sempre estão exigindo da minha parte uma tomada de posição. Servi de exemplo na comunicação a pessoas que fazem parte da minha vida, da minha alegria e motivação de viver. A minha filha mais velha, Paula Carina, é jornalista formada pela Newton Paiva, pós graduada pela UFMG e hoje enfrenta mais um desafio em bancos universitários, está a cursar MODA na Estácio de Sá em Belo Horizonte. A minha filha do meio, Izabela Marina, escolheu um outro caminho, está no último ano de PSICOLOGIA da FUMEC e a filha mais nova Rafaela Cristina, que está passando uma temporada nos Estados Unidos (felizmente estará de volta, com as Graças de Deus na próxima sexta feira), também está seguindo o jornalismo, estando cursando o último ano na Estácio de Sá em Belo Horizonte.

 

A vida é assim. Durante um tempo a gente segue os pais, depois há a necessidade da emancipação que é facilitada sempre quando se tem o apoio dos pais, depois conquista o espaço, forma uma família, vem os filhos que nos seguem durante muito tempo, depois gritam pela emancipação, que exige o apoio paterno e materno, para que sigam a caminhada individual de cada um. A gente passa então a ser guiado pelos filhos, de forma a sustentá-los nas aventuras, nos desafios, para que encontre o caminho da vida própria, da caminhada livre, dos novos desafios, da independência.

 

Ao deparar com novas encruzilhadas, olho para um lado, para o outro, sinto o peso da responsabilidade como pai e a tomada de decisão não mais procura ir de encontro à minha sequência na caminhada da vida e sim o início de novas caminhadas, as das minhas filhas. Sem perder o meu compromisso de procurar fazer sempre melhor e bem feito, me vejo no dever de não pensar só em meu lazer, em meu prazer. Preciso pensar em minha responsabilidade familiar, não posso negar o meu apoio às filhas e tenho o dever de buscar, em minhas decisões, nunca prejudicar a caminhada de cada uma delas, se possível ajudar.

 

Eu já virei a serra, passei pelo topo. Minhas filhas começam a subir e minhas mãos estão e estarão sempre estendidas, querendo Deus. No topo da serra, a sequência da minha caminhada não depende mais de uma decisão isolada, é preciso pensar nas outras pessoas, preciso continuar decidindo, porém não posso perder a noção da interferência que minhas decisões poderão causar em vidas de outras pessoas, especialmente de um trio, que se transformou ao longo do tempo, em minha principal razão de viver, o trio formado por Paula Carina, Izabela Marina e Rafaela Cristina.

De tudo, eu tenho uma certeza, seja qual for o caminho escolhido para que eu siga em frente, encontrarei sempre pessoas e pessoas na caminhada da vida. Eu encontro com você, que é muito importante em minha vida e que acaba de ler esta mensagem, por ai, em algum lugar que está reservado pela frente.

 

 

 

 


Escrito por Domingos Sávio Baião às 13h32
[] [envie esta mensagem] []


11/02/2009

Prefeito Márcio Lacerda assume a luta pelo Rodoanel

O Prefeito de Belo Horizonte Márcio Lacerda esteve ontem no Ministério dos Transportes para acompanhar de perto o processo que visa a construção do Rodoanel, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. O Blog do Baião, há mais de 2 anos, vem lutando para que o Rodoanel deixe o papel e venha para o solo. Mensagens aos Deputados Federais e Senadores por Minas Gerais, aos Deputados Estaduais, aos candidatos à Prefeitura de Belo Horizonte, foram algumas ações deste cidadão, que procura utilizar a facilidade de um espaço para a comunicação em prol do bem social.

Não só Belo Horizonte,  como também outras cidades da Região Metropolitana de Belo Horizonte, precisam retomar a qualidade e o tratamento de "um lugar gostoso para se morar". Para isto é preciso que os moradores da região tenham facilidades e segurança para locomoverem de um lugar para outro. Isto só será possível o dia em que, o Anel Rodoviário não for via de passagem para quem vem de um lado e vai para outro.

O Rodoanel vai facilitar tudo e todos. Vai trazer mais segurança, vai poupar vidas, vai aliviar o trânsito na Região Metropolitana, vai baratear o transporte de cargas, vai reduzir o tempo do transporte. Quem vem do Espírito Santo, do Leste de Minas, do Vale do Jequitinhonha, do Vale do Aço e quer seguir no sentido de Sete Lagoas, Brasília, Triângulo Mineiro, Sul de Minas e São Paulo, utilizará o Rodoanel para seguir viagem, desafogando o Anel Rodoviário. O sentido contrário, não será diferente.

Também o Aeroporto de Confins vai ficar mais próximo de usuários que chegam do interior de Minas. O Rodoanel será tratado como Asa Norte.

De acordo com informações repassadas pelo Prefeito Márcio Lacerda, no próximo dia 27 o Governo Federal, através dos órgãos competentes, divulgará o Edital para contratação do projeto do Rodoanel, a partir dai teremos a aprovação do Projeto e o Edital de construção. Serão aproximadamente 60 Km de extensão de uma Rodovia de 6 pistas que irá das proximidades do distrito de Ravena até a Fernão Dias, entroncamento da saida para São Paulo e para o Triângulo Mineiro. O Rodoanel Asa Norte cortará a Linha Verde, nas proximidades do Aeroporto de Confins, a 040 nas proximidades de Sete Lagoas, a 262 nas proximidades de Juatuba e sairá na Fernão Dias, saida para São Paulo.

O Rodoanel Asa Norte é o início das ações que precisam que sejam tomadas de forma a garantir a boa qualidade de vida da Região Metropolitana de Belo Horizonte.

AGORA É O RODOANEL ASA NORTE, PROJETO NO ENTANTO PRECISA VISAR O FUTURO

Uma segunda grande obra já está sendo debatida. Aqui no Blog do Baião vai ser chamada de Rodoanel Asa Sul. Irá das proximidades da Petrobrás, em Betim, até a 040, saida para o Rio de Janeiro. De extensão um pouco menor do que o Asa Norte, acredito que uns 40 Km. Neste particular vai exigir uma ligação entre o Asa Norte e o Asa Sul, aproveitando a Fernão Dias, que passa por Betim.

Uma terceira grande obra tem que estar inserida no projeto, para ser construída em no máximo 10 anos. Aqui eu vou chamar de Rodoanel Norte Sul. Fazendo a ligação entre a 381, saida para Vitória, próximo ao distrito de Ravena (trevo do Asa Norte), à 040, saida para Brasília (trevo da Asa Sul), passando entre Sabará e Caeté e entre  Belo Horizonte e Nova Lima.

O Rodoanel completo com uma extensão aproximada de 150 km, na forma sugerida pelo Blog do Baião, contornará toda a cidade de Belo Horizonte, agregando na parte interna outros municípios da Região Metropolitana, como Betim, Contagem, Sabará, Ribeirão das Neves, entre outros. 


Escrito por Domingos Sávio Baião às 07h47
[] [envie esta mensagem] []



[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
 
 
       
   
BRASIL, Sudeste, BELO HORIZONTE, BARRO PRETO, Homem, de 46 a 55 anos, Portuguese, Esportes, Viagens







Histórico

OUTROS SITES
    UOL - O melhor conteúdo
  BOL - E-mail grátis


VOTAÇÃO
    Dê uma nota para meu blog